“Perspectivas de gênero no planejamento urbano” – Ana Falú

11174260_10204124563131452_4654102299804784068_oA militante feminista Ana Falú é uma das maiores referencias da América Latina nos estudos de Cidade e Gênero. Arquiteta e urbanista, se formou na Universidade Nacional de Tucumán, na Argentina; e fez doutorado em habitação social na Universidade Técnica de Delft, na Holanda. Seu campo de pesquisa e ação está no projeto e nas políticas urbanas e habitacionais com perspectiva de gênero. É fundadora da “Red Mujer y Hábitat de América Latina”, de CISCSA, da “Articulación Feminista Marcosur”, entre outras instituições pelo direito das mulheres. Ela foi ainda coordenadora do UNIFEM (hoje conhecido como ONU Mulheres), primeiro como representante da Região Andina e mais tarde do Brasil e Países do Cone Sul. Em 2013, ganhou o prêmio “Trayectoria Feminista” na Argentina.

Atualmente Ana Falú é presidenta, professora e pesquisadora em arquitetura e urbanismo na Universidade Nacional de Córdoba e diretora do INVIHAB – Instituto de Pesquisa sobre Habitação e Habitat. Atua como especialista em gênero para a União Iberoamericana de Municipalistas. É coordenadora e fundadora do UNI Habitat – UNI Gender Hub (rede de pesquisadoras associadas a temática de gẽnero pela UNI Habitat). Ela também atua como professora de diferentes cursos de pós-graduação em Planejamento Integrado, Cidades e Gênero, em Roma, Santiago, Buenos Aires, Barcelona, ​​Delft, Alemanha e em mais de 10 universidades latino-americanas.

Reproduzimos abaixo um vídeo-palestra no qual ela debate o planejamento urbano a partir de uma perspectiva de gênero, com ênfase tanto no direito à cidade como em quem tem direito a planejar essa cidade. Isto é, de que forma se pode incluir as mulheres no debate urbano, incorporando propostas e experiências de políticas urbanas da América Latina. Infelizmente a palestra está em inglês. Por esse motivo apontamos algumas questões que ela levanta a seguir. 

A palestra parte do pressuposto que o planejamento urbano, o acesso aos recursos urbanos e sua distribuição no território são desiguais, sobretudo se olharmos as diferenças entre homens e mulheres. Dessa forma, ela analisa a urbanização a partir de uma perspectiva de gênero, incluindo as demandas das mulheres, a acessibilidade, os serviços e o uso de espaços públicos, tudo isso articulado ao direito das mulheres a uma vida livre de violência nas cidades.

No vídeo, Ana Falú aborda como as transformações urbanas causam um impacto específico na vida das mulheres. A análise baseia-se na América Latina, no crescimento urbano e na persistência das desigualdades, em particular a distribuição desigual dos recursos urbanos no território, sobretudo nos locais onde mais mulheres circulam e atuam: os espaços de reprodução da vida cotidiana, isto é, aqueles espaços não voltados para produção de mercadorias, e sim de pessoas. As vidas das mulheres nas cidades se relacionam com suas experiências nessas diferentes escalas onde vivem e atuam. Isto é, a percepção/acesso/vivência urbana é radicalmente diferente para homens e mulheres: cada um usa a cidade de maneira diferente, sobretudo se olharmos para os dados relacionados à violência urbana. Dessa forma, ela ressalta que é necessário a criação de instrumentos e políticas que propiciem uma abordagem de gênero nos planos e nas intervenções do planejamento urbano.

Segundo Ana Falú, a dimensão de gênero e a diversidade de indivíduos sociais devem ser fundamentais nos debates sobre as cidades. Este planejamento da diversidade exige a promoção de uma verdadeira acessibilidade universal aos equipamentos urbanos, priorizando o uso coletivo e levando em conta a autonomia das pessoas em condições vulneráveis acessarem a cidade. Em termos de planejamento urbano, ela indica a necessidade de desafiar a abordagem como são pensadas as cidades atualmente, que como sabemos, são voltadas para a circulação e produção de mercadorias, e não para as pessoas.

***

Segue abaixo a indicação de algumas leituras escritas por ela:

Falu, Ana (ed. 2009). Mujeres en la ciudad. De violencias y derechos. Ediciones SUR, 1ª edición. Red Mujer y Hábitat de América Latina (2011), Construyendo Ciudades Seguras. Experiencias de redes de Mujeres de América Latina. Ediciones Sur. Santiago, Chile

Falú, Ana, ed. (2008). Retratos de las desigualdades. Brasil: Instituto de Pesquisa Económica Aplicada (Ipea) y UNIFEM.

Falú, Ana; Segovia, Olga, eds. (2007). Ciudades para convivir. Santiago de Chile: Ediciones Sur. ISBN 978-956-208-077-4.

Falú, Ana (ed. 2002) Ciudades para Varones y Mujeres. Herramientas para la acción. Impreso M y M impresiones. Cordoba, Argentina.

Falú, Ana; Morey, Patricia and Rainero, Liliana (ed. 2002). Uso del tiempo y del espacio: asimetrías de género y de clase, en Ciudad y Vida Cotidiana. Asimetrías en el uso del tiempo y del espacio. Córdoba, Argentina.

Women and Habitat Network LAC: www.redmujer.org.ar

Mais informações da biografia de Ana Falú em: https://undiaunaarquitecta.wordpress.com/2015/08/01/ana-falu-1947/

Anúncios

5 pensamentos sobre ““Perspectivas de gênero no planejamento urbano” – Ana Falú

  1. Maravilhoso, Didi! Obrigada por compartilhar! Gostaria tanto de uma disciplina focada em feminismo e cidade para cursar no mestrado… você saberia se existe alguma este ano? Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s