Artigos de autoras brasileiras: participação, arquitetura e planejamento

No post de hoje, indicamos 4 artigos produzidos nos anos 2000: dois sobre a questão da participação das mulheres no debate sobre política urbana e dois sobre a questão da habitação e do planejamento urbano. Continuar lendo

indicação de leitura: “Geografias Subversivas – discursos sobre espaço, gênero e sexualidades”

Este livro organizado pela geógrafa Joseli Maria Silva, com apresentação de Roberto Lobato Corrêa e prefácio de Maria Dolors Garcia-Ramon, mostra a capacidade de um grupo de pesquisa brasileiro, sediado em uma universidade ‘periférica’ (Universidade Estadual de Ponta Grossa), em se articular internacionalmente junto à Rede de Estudos de Geografia e Gênero da América Latina (REGGAL), e se tornar protagonista do debate de gênero e espaço.

Continuar lendo

indicação de leitura: “Feminist theory and planning theory: the epistemological linkages”

SANDERCOCK, Leonie; FORSYTH, Ann. “Feminist theory and planning theory:  the epistemological linkages”. In: CAMPBELL, Scott; FAINSTEIN, Susan. Readings in planning theory. Malden/Mass, Blackwell Publishers, 1996, p. 471-478.

A crítica feminista à epistemologia patriarcal e racionalista do Planejamento Urbano e Regional

Leonie SANDERCOCK vem produzindo e organizando uma excelente bibliografia acerca de estudos urbanos não-hegemônicos. Neste texto, em conjunto com Ann FORSYTH, as autoras fazem uma reflexão acerca da união epistemológica entre gênero e planejamento. O trabalho é uma ótima introdução para se pensar no tema, tão escasso nas leituras brasileiras. Infelizmente, o texto original é em inglês e ainda não está traduzido. Por isso, pontuamos aqui algumas colocações importantes que elas apontam.

Continuar lendo