“Arquitetura, Cidade, relações Étnicas e de Gênero” – disciplina optativa do curso de arquitetura e urbanismo da UNILA

Guest post (autora convidada): Camilla M. Sumi 

cartaz_optativa_camillasumi-03.pngDesde que inaugurado o curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) preocupa-se em abordar as temáticas de gênero e etnia em diversos eixos do seu projeto político pedagógico, sendo também tema específico previsto na disciplina optativa Arquitetura, Cidade, Relações Étnicas e de Gênero, a qual será ministrada pela primeira vez neste semestre letivo de 2019. Continuar lendo

Anúncios

Palestra “Gênero e Estudos Urbanos: costuras possíveis” + Curso de Extensão “Gênero e Cidade” – USF

Nos dias 9 e 10 de novembro de 2018 a Universidade São Francisco (USF) promove a Palestra: Gênero e Estudos Urbanos: costuras possíveis” e o Curso de Extensão “Gênero e Cidade”. O curso e a palestra serão realizados pela pesquisadora – e autora desse blog – Diana Helene, a partir de sua tese de doutorado premiada pela CAPES em 2016, “‘PRETA, POBRE E PUTA’: a segregação urbana da prostituição em Campinas – Jardim Itatinga” que tece importantes relações entre o território e a perspectiva de gênero.

O curso de extensão será composto de três sessões. A primeira, em conjunto com a palestra que será realizada no mesmo dia, irá trazer uma introdução ao tema de gênero, feminismos e cidade. A segunda sessão irá aprofundar as discussões anteriores a partir da perspectiva da urbanização brasileira, articulando colonialidade, classe, gênero, raça e etnia. Por fim, no terceiro encontro, realizaremos um estudo dirigido por meio de uma atividade prática e propositiva de atuação, por meio da seguinte pergunta: é possível pensar um “Urbanismo Feminista”?

Continuar lendo

Perspectivas da inclusão das questões de gênero no ensino de Arquitetura e Urbanismo (apresentação no seminário “A Dimensão Social do Profissional” na FAU-UNC)

Guestpost (autora convidada): texto de Camilla M. Sumi (Arquiteta, Urbanista e Pesquisadora – PATC – FEC | Habitares | UNICAMP)

No próximo dia 26/10 haverá a apresentação do trabalho Gênero no Ensino de Arquitetura e Urbanismo: Aproximações, desenvolvido pela pesquisadora Camilla M. Sumi e a professora Silvia A. Mikami G. Pina, ambas do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, Tecnologia e Cidade da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). A apresentação irá compor uma das mesas do Seminário Internacional “A Dimensão Social do Profissional – Após 47 anos Taller Total, na FAU-UNC (1970-1975)”, cujo o objetivo é proporcionar o intercâmbio de experiências da relação entre formação e prática profissional em países da América Latina, com ênfase na relação ensino-sociedade e práticas de extensão. O evento, como um todo, ocorrerá entre os dias 25 a 28 de Outubro no Complexo Educacional FIAM/FAAM – FMU e no Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo (SASP), em São Paulo.

A discussão do trabalho junto ao eixo temático sobre a formação universitária e o compromisso com os problemas sociais, políticos, econômicos e culturais da região, visa demonstrar a importância da inclusão das questões relativas à gênero nos processos educativos e práticas do ensino de Arquitetura e Urbanismo frente às demandas sociais, ausência ou delonga de políticas públicas urbanas, e as próprias adversidades que começam no ensino, perpassam a carreira e estendem-se ao cotidiano urbano. Para tanto, será apresentado o levantamento de projetos políticos pedagógicos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, produzidos nas duas últimas décadas no contexto latino-americano, os quais já incluem de maneira afirmativa, seja por disciplinas ou outras atividades, as questões de gênero e outras que as fazem interface, como as étnicas-raciais e de classe.

Exemplo das atividades realizadas na disciplina Diseño y Estudios de Género da Facultad de Arquitectura Diseño y Urbanismo (FADU) em Buenos Aires. Fonte: Diseño y Estudios de Género – Cátedra Flesler, FADU-UBA, 2017. Disponível em: <https://www.facebook.com/dyeg.fadu/&gt;. Acessado em: 16/08/2017.

Continuar lendo

Representatividade importa: “Se somos maioria mulheres nos cursos de AU porque na história e nos espaços de poder só vemos arquitetos homens (brancos)?”

Como já temos publicado em nossa página, estamos vivendo uma nova onda feminista frente a uma também nova onda conservadora, não só no Brasil, como em diversos outros países da América Latina, Europa e, notadamente, os EUA. Felizmente, esse movimento tem influenciado nosso campo, da arquitetura e urbanismo (AU). Na academia, não só pesquisas, mas em diversos debates têm sido realizados por estudantes e professoras(es) com intuito de ampliar cada vez mais a percepção da importância da perspectiva de gênero.

Nesse sentido, que semana passada conseguimos dedicar um dia inteiro da II SEMAU – Semana de Arquitetura e Urbanismo da Unigranrio – de mesas e uma oficina sobre as mulheres. Isso foi um ganho significativo e mérito do corpo docente da universidade. Pela manhã tivemos a mesa “Segregação territorial e as perspectivas da diversidade” com a participação da Clarisse Linke (The Institute for Transportation and Development Policy – ITDP), Isabela Rapizo (arquiteta pela FAU\UFRJ), Luiza Borges (mestranda IPPUR\UFRJ), Diana Helene e mediação de Rossana Tavares (ambas colunistas do blog FeminismUrbana, professoras da Unigranrio e organizadoras deste dia do evento junto com a professora Alline Serpa). A noite, assim como pela manhã, mais convidadas emocionaram e trouxeram provocações para alunas e alunos presentes na mesa “Resistência, Planejamento e inclusão nos diferentes cenários territoriais”: Fabrina Furtado (pós-doutoranda IPPUR\UFRJ), Tainá de Paula (mestre pela PROURB\UFRJ e candidata a conselheira federal CAU\RJ), Danielle Mozer (arquiteta pela Unigranrio), Rossana Tavares e mediação de Diana Helene. A tarde, oferecemos uma oficina de ideias de projeto de sala de apoio à amamentação na universidade para as trabalhadoras, professoras e alunas lactantes. 

 

Continuar lendo