A ciência é um homem branco, ocidental e heterossexual; o planejamento urbano e regional também? – oficina na semana PUR

No dia 13 de dezembro, quarta-feira, estaremos realizando uma oficina aberta na semana do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Semana PUR do IPPUR/UFRJ). Intitulada “a ciência é um homem branco, ocidental e heterossexual; o planejamento urbano e regional também?”, a ideia é pautar e debater juntas uma proposta para inserção dos debates intersecionais entre classe, raça e gênero dentro do instituto, tanto na sua Pós-Graduação em PUR quanto na graduação, o curso Gestão Pública para o Desenvolvimento Social – GPDES.

Historicamente a ciência moderna – dita “neutra”, “objetiva”, “racional” – negou às (nós) mulheres, em especial às mulheres negras, a possibilidade de estar nos espaços de produção e disseminação do saber e de elaborar e compartilhar conhecimentos de relevância para as suas (nossas) vidas e lutas. Esta ciência hegemônica se baseia na ideia da existência de UM sujeito universal, que na verdade é um homem branco, heterossexual e ocidental. Além disso, ainda observamos no ensino, pesquisa e extensão- e inclusive no planejamento urbano e regional – a predominância da razão dualista, baseada em uma lógica binária, de pares opostos e hierarquizados – sujeito/objeto, mente/corpo, cultura/natureza, razão/emoção – construída a partir das diferenças de sexos e desigualdades de gênero.

As categorias de gênero estão implícitas na construção das noções dominantes da ciência e nas estratégias epistemológicas utilizadas. Pensamento que a cruzada mais recente contra a “ideologia de gênero” – a caça à (bruxa) Judith Butler e outras bruxas em escolas e universidades do Brasil, América Latina e mundo, e projetos de lei que preveem prisão de docentes que falarem sobre “ideologia de gênero” são apenas alguns exemplos –, os retrocessos atuais nos direitos historicamente conquistados e na própria ideia de democracia, assim como o cotidiano da academia, revelam ainda estar longe de ser superado. A crítica feminista à ciência busca historizar a ciência e refletir sobre a forma como ideologias e estruturas de gênero, raça e classe são incorporadas e ajudam a moldar as nossas percepções e ações. O desafio é, em um contexto de aprofundamento e legitimação dos conservadorismos, não só visibilizar a presença das mulheres e as suas pesquisas, seus métodos e seus saberes, mas também questionar e transformar os pressupostos básicos da ciência, da política, das mentalidades. É possível construir uma ciência/política feminista e antiracista, capaz de superar a heteronormatividade, quando as teorias, categorias, metodologias, instrumentos e práticas das quais dispomos são androcêntricas, eurocêntricas e brancas?

Considerando este contexto e este questionamento básico, esta oficina tem como objetivo, compartilhar olhares, experiências e saberes sobre o que é e poderia ser uma ciência feminista no contexto do planejamento urbano e regional.

Venham e ajudem a divulgar!

Programação:

  1. Roda de apresentação
  2. Apresentação dos trabalhos das alunas da oficina do GPDES: “Nem nossos corpos nem nossos territórios”: gênero, território e movimentos sociais.
  3. Balanço da disciplina do IPPUR: Gênero, colonialidade, corpo e território: da caça às bruxas à modernidade neoliberal”.
  4. Apresentação das pesquisas realizadas/ planejadas ou de interesse das/dos participantes da oficina relacionadas a gênero, raça e sexualidade.
  5. Debate sobre as disciplinas do IPPUR e dos GPDES e as desigualdades de gênero, raça, geração e sexualidade.
  6. As possibilidades de pesquisa, ensino e extensão: IPPUR e GPDES.

______________________________________

Serviço:

Data: 13/12/2017, das 14 às 17h

Local: Sala C2 – Faculdade de Letras

Coordenação: Diana Helene e Fabrina Furtado (pós-doutorandas IPPUR).

Link para programação completa da semana PUR 2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s